Pular para o conteúdo principal
Deixe-me entre
o santo e a vacuidade das coisas
Na transparência do fundo
há muito tempo te disse
da imitação aborrecida de um mundo
que sonha
que vê a fuga

um desabafo de ninguém
na respiração relembrada do cansaço


conversa de abismos
faísca de rastros
vergonhas conhecidas
habitam a língua do dia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

de criança e chuva