Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2010
na vez da graça
atar a corda aos cabelos


aliviada a desaguar gastos
nasce o fundo da semente
vibrante íntimo
âncora dos dias
medidor e mirada dos pés
o arco dos olhos
descasca o vacilante

Francis Alys

é o crescer da voz nessa distância
um tempo que cabe em todos os teus sapatos
dizer da ave e do pó.

um olhar entre as pedras surgindo

outro chão

mãos dadas ao dia
nele a hora do sol te encontra
e no peito
palavra alguma.