Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2010
o brilho das coisas quietas
deita em meu corpo igualmente
renunciar essa natureza inteira
é afundar o chão de ontem
que me foi tão macio

é da dor:
a mudança
o nascer
A aparência não anda com a criação

é também
uma visão de deserto
um sentido decisivo
armadilha turva para os olhos

A Alvorada só desponta ao meio dia

cantareira

perto do céuno alto da pedra
Desapego

Locvizza, 24 de setembro de 1916

Eis aqui um homem
uniforme

Eis aqui uma alma
deserta
um espelho impassível

Ocorre-me despertar
e unir-me
e possuir

O raro bem que me nasce
bem apagado me nasce

E quando passa
bem insensivelmente se apaga


(Giuseppe Ungaretti)
entregue