Pular para o conteúdo principal

sobre o cometa da manhã



Levantou morada esse geógrafo paciente da lenta descoberta

a história do cego e seu cão
um acordo seria pouco diante de tanta cumplicidade.
mesmo com céu e terra desabando ao sol do meio dia
um corpo anda na luz dos acontecimentos.
Nas fronteiras o âmago:
há lugar natural e difícil de morar ausências?
Uma conversa gravada sobre a história de uma coluna
que cresce e ecoa em direção ao corte
rente a grande altura,
errante movimenta-se.
alguns pertecem a montanha nunca vista.

Comentários

  1. Gostei mais destes versos: "a história do cego e seu cão", "um corpo anda na luz dos acontecimentos", "que cresce e ecoa em direção ao corte" e "alguns pertecem a montanha nunca vista".

    Novos desafios? Outros caminhos?

    Verso simples, imagens inusitadas: não os perca, please!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

de criança e chuva

filha da terra

junho de 2017

alto da montanha, vento frio e fogo. estrelas no céu irmãs.
mulheres em círculo de enorme gratidão.
ervas,  rezos e cantos levantados à mãe terra.
Silêncio e olhos fechados para receber o presente da presença.
Uma mãe forte que acolhe conversa com as quatro direções e ensina como tocar a terra com respeito e amor.
tambor, faísca de fogo, água
plantas sagradas
em honra e união seguimos
mulheres.

cachoeira do Caldeirão, minas gerais
foto katty cuel


Peixe grande come peixe pequeno, Brueghel



após a orientação dos  remadores e dos pássaros