Pular para o conteúdo principal
o brilho das coisas quietas
deita em meu corpo igualmente
renunciar essa natureza inteira
é afundar o chão de ontem
que me foi tão macio

é da dor:
a mudança
o nascer
A aparência não anda com a criação

é também
uma visão de deserto
um sentido decisivo
armadilha turva para os olhos

A Alvorada só desponta ao meio dia

Comentários

  1. bom ver espaço para dor
    e para as palavras

    "armadilha" e "Turva"

    tbm acredito nessa Dor
    é deça que te falo quando agente não consegue falar.


    Luis Felipe - El Racho

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

de criança e chuva

filha da terra

junho de 2017

alto da montanha, vento frio e fogo. estrelas no céu irmãs.
mulheres em círculo de enorme gratidão.
ervas,  rezos e cantos levantados à mãe terra.
Silêncio e olhos fechados para receber o presente da presença.
Uma mãe forte que acolhe conversa com as quatro direções e ensina como tocar a terra com respeito e amor.
tambor, faísca de fogo, água
plantas sagradas
em honra e união seguimos
mulheres.

cachoeira do Caldeirão, minas gerais
foto katty cuel


Peixe grande come peixe pequeno, Brueghel



após a orientação dos  remadores e dos pássaros