Pular para o conteúdo principal
estamos arrancados

busco inscrições do homem
na colheita estreita
terra vestida de chão
Dentro do meio tempo
do raio parado na porta
nasce a coroa do inocente
corpo fecundo
viço no rosto
íntimo nos deixa o instinto
alma povoada



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

de criança e chuva