Pular para o conteúdo principal

Sobre viver nas perguntas


De um sossego guardado

essa mulher passa a vida
procurando um canto.
Para que o quanto antes
suas mãos pálidas
enterre essa hora
como uma última visita
à paisagem humana.

Comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. para que suas
    mãos
    páildas enterre
    essa
    hora como uma última
    visita à paisagem humana

    algum bigodudo alemão falou algo próximo enquanto dormia
    quando acordou era O Nome - frederico Níti.
    acordou sem as palavras do sonho
    Levantou,assinou embaixo uma carta destinada ao eterno
    retorno

    e

    O devir,
    bom carteiro, te contaminou as Bocas com essas palavras Migratórias
    .............................................
    Eterno Retorno( Do Mesmo: "de um lugar sossegado / essa mulher passa a vida/procurando um canto".)

    .............................................

    vamos supor que essa mulher desalojada seja a Verdade,
    vivente atônita "sobre a (casa) das vivências das/nas perguntas"


    toda letra que vier, junto com aquilo que ela diz
    escreva embaixo " aluga-se"
    pois um digito é apagamento
    uma palvra espaço em branco,casa vazia
    a espera da visita apressada dessa Cigana: a verdade.

    gostei do poema.

    ResponderExcluir
  4. como eu faço pra seguir teu blog?

    ResponderExcluir
  5. Me encsnta "enterre as horas"...

    Parabéns pela safra,
    que, na minha humilde opinião,
    melhora a cada dia:
    mais simples e mais forte.

    Aquele abraço
    E mãos à sua obra-prima.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

de criança e chuva